GAMES 4U
 
05/11/2020

Redação Games4U

Os fãs envelhecem, mas Crash Bandicoot 4 não

Aventura, Acao, Puzzle, Xbox One, PS4 

Depois que a franquia Crash passou por mãos de dezenas de empresas, Crash Bandicoot 4: It’s About Time vem como um presente aos fãs da saga original do marsupial mais querido do mundo dos games.

O game foi lançado pelo Toys for Boys, mesmo estúdio responsável pelo remake de Spyro The Dragon – outro game favorito da minha infância.

A empresa manteve a essência do jogo original e trouxe melhorias de jogabilidade e design. Desta vez, a história reescreve a cronologia da série e deixa de lado os acontecimentos dos sucessores da trilogia original – ou seja, temos aqui um jogo dedicado os jogadores de longa data de Crash, que há anos não experimentavam nada parecido com os títulos originais.

O objetivo é o mesmo: pular nas caixas que dão pontos, deslizar por obstáculos, se esquivar de inimigos, atacá-los com giros e cair - incontáveis vezes! - nas armadilhas com caixas de TNT. Ainda é preciso ter bom reflexo e agilidade na hora de realizar comandos no controle.

Eu penei muito logo nas fases iniciais, principalmente nas fases bônus, que você acessa através de plataformas com o ícone “?” no centro, e te transportam para um curto trecho de desafio que concede muitos pontos se você conseguir completá-lo com êxito.

O game me pareceu muito desafiador. Algumas situações e obstáculos que parecem simples estão cheios de armadilhas e pregam a ilusão de que você vai passar muito fácil, sem muita dificuldade.

Isso me lembrou o primeiro Crash, lançado em 1996. Ah, esse tipo de jogo me ensinou uma coisa muito importante: ter paciência – se você vai com muita sede, a falha é certeira. E grande parte da diversão era exatamente isso: o desafio. É preciso que o jogador desenvolva habilidades cognitivas para conseguir completar as fases. A cada novo desafio, uma provação.

E se antes nós sofríamos muito com o temeroso “Game Over”, desta vez temos a opção de jogar de maneira mais branda, onde o jogo é menos impiedoso. É possível reviver com uma máscara Aku AKu ou em um Checkpoint que você encontra pelo caminho.

Desafios à parte das fases, agora temos os Time Trails, onde é preciso completar o percurso no menor tempo possível sem morrer.

Pelos cenários se encontram várias gemas escondidas e fita cassetes jogáveis – para pegá-las é preciso alcança-las sem morrer. Para isso, é importante prestar atenção quando a câmera mostra um panorama do cenário, exibindo os elementos escondidos por ele.

Agora também temos um novo modo de jogo, que adiciona diversão a mais: o N. Verted. Quando você conclui uma fase pode jogá-la novamente, mas com todo o cenário e objetos invertidos, com estilo de arte e paleta de cores diferentes – um verdadeiro mundo invertido de Crash Bandicoot.

Outro ponto favorável aos jogadores é que nas batalhas contra os chefes, quando você morre revive novamente em alguns momentos antes de sua morte, e não no começo da luta.

Além de tudo, o mais divertido de Crash Bandicoot 4 é a história, que se desenvolve como um desenho animado. Isso porque o estilo de arte está mais cartunesco. Embora os diálogos e situações agradem principalmente ao público infantil, o jogador adulto que tem aquela criança que jogava Crash dentro si, há de se divertir também.

A história é ambientada após os acontecimentos do terceiro jogo, Warped (1998). Os vilões Uka Uka, Neo Cortex e N. Tropy estão presos no espaço-tempo. Para fugir, eles criam fendas que modificam a estrutura temporal. Agora é preciso restaurar a ordem no multiverso, e os heróis precisam encontrar as quatro Máscaras Quânticas, guardiãs do tempo e do espaço.

As máscaras são as principais responsáveis pela diversão no jogo, alterando as situações do cenário e criando desafios que exigem agilidade jogador.

A máscara Lani-Loli, por  exemplo, altera a percepção da realidade. Usando o comando do controle, você ativa e desativa objetos do cenário – isso pode ser bom ou ruim, tudo depende do seu reflexo.

A máscara Akano faz Crash e Coco girarem sem parar, possibilitando pulos ainda mais altos; Kupuna-wa desacelera o tempo; e Ika-Ika inverte a realidade. Cada máscara aparece no cenário no momento adequado em que as fases vão exigir as habilidades extras para ultrapassar os obstáculos e completar o percurso. Depois que você as utiliza para isso, as habilidades somem.

São cinco personagens jogáveis e é possível alternar entre eles a qualquer momento e personalizá-los com skins que são desbloqueadas à medida que você progride no jogo: Crash, Coco, Dingodile, Tawna e Neo Cortex – os últimos três possuem linhas do tempo distintas, com seus objetivos e estilo de gameplay próprios. As histórias de todos os personagens se conectam em determinado momento.

Crash Bandicoot 4 é um deleite aos fãs da trilogia original. O estúdio Toys for Boys sabe que, às vezes, é preferível manter a essência de um jogo e ao mesmo tempo saber reformulá-lo com uma experiência nova.

Assim, escrevendo uma carta de amor a um game que tem valor sentimental a tantos jogadores do mundo inteiro, se escreve uma carta de amor a eles próprios.

Crash Bandicoot 4: It’s About Time foi lançado em outubro de 2020 para PlayStation 4 e Xbox One.

(Raquel Rapini, do site GEEKNESS)
 

compartilhe

Zombie Chase

Baixar

Scooby Doo Salvando Salsicha

Baixar

Confira as notícias e vídeos do mundo dos games

Red Dead Online ganha edição 'independente' na próxima semana
Monster Energy Supercross terá 17 pistas da vida real
Update permite escolher orientação sexual em Crusader Kings
Mortal Kombat ganha skins dos atores do filme de 1995
Lançamento de Shadowlands desvenda lado sombrio de Warcraft