GAMES 4U
 
30/12/2019

Redação Games4U

Retrospectiva: 5 momentos marcantes no Dota 2 em 2019

E-Sports, Tiro, Multiplayer, MMO, PC 

Dota 2, o MOBA da Valve, teve um 2019 de mudanças e solidificação em seu circuito profissional. Além de ter seu maior torneio na China pela primeira vez, alguns times fizeram história neste ano. Nesta retrospectiva, relembramos cinco momentos marcantes de Dota 2 em 2019.

1. MUNDIAL NA CHINA

O primeiro The International de Dota 2 aconteceu na Europa, durante a Gamescom 2011. Depois disso, passou seis anos sendo realizado em Seattle, EUA, “casa” da Valve. Então, o local utilizado pelo torneio entrou em reforma, e o evento fez sua primeira excursão para fora em anos, indo para o Canadá em 2018.

A Valve parece ter gostado da ideia, porque em 2019 ela decidiu levar o The International para um local completamente novo e muito distante: a China.

A escolha não foi aleatória, já que a China possui uma grande base de jogadores de Dota 2 e uma boa parte de vencedores do The International — e é claro que a decisão deu certo, já que os ingressos se esgotaram em apenas 53 segundos.

A única coisa que não deu certo foi a equipe campeã ser chinesa...

2. O PRIMEIRO BICAMPEÃO MUNDIAL

Pelo terceiro ano consecutivo, os chineses não puderam comemorar o título de campeão de Dota 2. Depois de “quebrar a tradição” de times chineses vencendo o The International em ano par, a OG quebrou outro recorde este ano e se tornou a primeira bicampeã do torneio.

A equipe passou grande parte do Dota Pro Circuit desmantelada e não venceu um único minor, muito menos um major. No entanto, recuperou o jogador Ana para o The International, conseguiu a 10ª de um total de 12 vagas diretas para o torneio e chegou pronta para surpreender.

Com táticas como um IO carry e outras inovações muito bem executadas dentro do jogo, a OG passou da fase de grupos com 6 vitórias, 2 empates e nenhuma derrota. Em seguida, derrubou a Newbee (2 a 0), a Evil Geniuses (2 a 1) e a PSG.LGD (2 a 1), favorita da casa, no mata-mata para chegar até a grande final.

O último adversário foi a Team Liquid, que até chegou a vencer um jogo, mas não foi capaz de parar a vitória da OG. A equipe europeia encerrou a série por 3 a 2 e levantando a taça mais valiosa de todo o esporte eletrônico.

3. A MAIOR PREMIAÇÃO DOS E-SPORTS

E falando em troféu, o Aegis do The International continuou sendo o prêmio mais valioso dos e-sports em 2019 — apesar de ter tido um adversário à altura este ano. A Epic Games decidiu investir pesado no competitivo de Fortnite e anunciou que iria distribuir 100 milhões de dólares na Copa do Mundo do jogo, incluindo as qualificatórias.

Este valor é certamente mais alto que o TI e a soma dos minors e majors. No entanto, quando falamos de evento principal, o Mundial de Dota 2 conseguiu mais uma vez bater o recorde e ultrapassar os cerca de US$ 33 milhões da Copa do Mundo.

Após uma campanha de financiamento coletivo com a venda do Passe de Batalha e de itens dentro do jogo, a premiação do TI9 subiu de US$ 1,6 milhão para US$ 34.330.069 — aproximadamente 140 milhões de reais na cotação atual. A OG recebeu 45,5% deste valor, ou seja, US$ 15.620.181 (aproximadamente 63,7 milhões de reais).

4. ASCENSÃO PERUANA FAZ HISTÓRIA

Outra equipe que fez história este ano foi a Infamous — ou melhor, a escalação dos peruanos K1, Chris Luck, Scofield e Stinger, e do boliviano Wisper. Isso porque o time terminou em 7º-8º no TI9, tendo o melhor resultado de uma equipe sul-americana no Mundial de Dota 2.

No início do ano, a formação venceu a qualificatória sul-americana para o OGA Dota Pit Minor como Pacific e-Sports e com o brasileiro Dunha1 e o peruano Yadoni no lugar de Scofield e Stinger. Na competição, o time ficou na 4ª colocação.

Na sequência, o time mudou de nome para Majestic E-sports, e depois ficou sem organização, adotando o nome de Team Anvorgesa — já com Scofield e Stinger. Com a logo do “gato-hambúrguer”, a equipe disputou o StarLadder ImbaTV Dota 2 Minor, também terminando na 4ª colocação.

Já para o The International 9, os jogadores entraram para a Infamous e conquistaram a vaga pela qualificatória sul-americana. No evento na China, o time fez uma boa fase de grupos, avançando na competição graças a empates com Evil Geniuses, Na’Vi, Ninjas in Pyjamas, Royal Never Give Up e Vici Gaming.

No mata-mata, a Infamous entrou pela chave inferior e foi longe ao eliminar Keen Gaming e Newbee até finalmente perder para a Team Secret. Que campanha!

5. A SEPARAÇÃO DEFINITIVA DE DENDI E NA’VI

Não é possível falar do competitivo de Dota sem falar de Dendi. O jogador ucraniano é quase sinônimo do jogo, e sua fama não vem apenas por ter feito parte da equipe vencedora do primeiro The International.

Simpático e criativo, Dendi sempre deu um brilho extra às competições de Dota 2, além de ter emocionado muitos com seu episódio no documentário Free to Play (de graça, na Steam!). Infelizmente, o desempenho do jogador com a Na’Vi foi decaindo com os anos, enquanto surgiam outros novatos tão promissores quanto.

Por conta disso, apesar de triste, não foi uma surpresa quando a Na’Vi colocou Dendi no banco em setembro do ano que vem. Este ano, o jogador foi emprestado a equipes como a Tigers e a The Pango, até finalmente anunciar sua saída definitiva da Na’Vi em agosto de 2019. O fim de um relacionamento de 9 anos.

Ainda este ano, Dendi participou da transmissão oficial do The International 9 e afirmou que pretende criar a própria organização. Logo, ainda haverá Dendi no Dota!

(Daniel Rigon / ESPN Brasil)

compartilhe

Confira as notícias e vídeos do mundo dos games

Amazon Prime Gaming traz itens gratuitos para games gigantes
Cyberpunk 2077 estreia três novos trailers simultâneos
Velozes e Furiosos: Encruzilhada traz os atores originais
Patrulha da Noite ganha vida em Game of Thrones: Tale of Crows
Especial de Verão permite criar corridas de rua em GTA Online