Ragnarök Online

Redação Games4U

Ragnarök

ficha técnica

Existem alguns games que são atemporais apenas para aqueles que tiveram o prazer de jogá-los na época de seu lançamento. Se esse é o caso de Ragnarök Online, é difícil dizer. Por um lado, nenhum outro MMORPG lançado até hoje conseguiu trazer mecânicas de personalização tão amplas quanto ele: é um verdadeiro oceano de possibilidades na caracterização dos personagens. Por outro, muitos jogadores sequer cogitam instalar o game no PC devido aos seus antiquados gráficos em sprites (por mais carismáticos que sejam).

Como o show não pode parar, a Gravity tinha uma missão complicada pela qual todos os games baseados em multiplayer inevitavelmente terão que passar: trazer ao seu mundo uma reformulação. Tanto para atrair um novo público como para manter o antigo, era necessário trazer algo tão impactante que faria as pessoas voltarem a ter gosto em dominarem os castelos dos servidores ou caçar aquele chefe colossal. Uma renovação.

Quando se cria algo do zero por vezes é mais fácil do que reconstruir um jogo que já possui uma base de fãs tão grande quanto Ragnarök, mas talvez o receio em mudar demais o tabuleiro com que já estávamos acostumados tenha sido uma falha no planejamento.

Qualquer pessoa que já jogou pelo menos um pouco do game irá notar três novidades mais do que bem-vindas. Primeiro, que o sistema de quests ganhou grande ênfase desde os primeiros passos do seu personagem, uma tentativa de amenizar o grind (derrotar grandes quantidades de inimigos repetidamente para evoluir o personagem) sem fim que antes era exigido. Além disso, ganhar pontos de experiência ao ajudar NPCs (personagens não jogáveis) acaba sendo muito mais recompensador por dar ao jogador a sensação de estar participando mais ativamente do mundo do game. É um tiro certo para aumentar a imersão.

A segunda mudança é no layout. A velha-guarda com certeza levará um tempinho para se acostumar com a nova distribuição dos menus, a nova barra de chat completamente customizável ou o modo como o mapa pode ser exibido, mas, no final das contas, todas estas pequenas alterações acabaram por tornar a experiência muito mais confortável e intuitíva.

Após você vir o modo como o inovador sistema de busca de grupos funciona, vai com certeza se perguntar: “Como ninguém havia pensado nisso antes?”

Por fim, a terceira e mais importante das mudanças se encontra na hora de evoluir (ou “upar”, na linguagem do jogo) seu avatar. Agora, ganhar a experiência necessária para passar para a próxima classe está muito mais rápido, uma atitude astuta por parte dos desenvolvedores.

Um motivo pelo qual muitos desistiam de Ragnarök era o momento quando achavam que, após tantos dias jogando, dar 600 pontos de dano nos inimigos já estava legal. E então viam algum transclasse efetuar 6 mil um no outro e continuar de pé por um tempão. Além do mais, o nível máximo agora não é mais 99, e sim 150. Se a evolução continuasse no mesmo passo de antes, os jogadores com a ambição de chegar ao posto máximo do game poderiam gastar mais do que um ano nesta busca. E isso não é exagero, não.

 

Nome Ragnarök Online
Data de lançamento 23 de Agosto de 2017
Console PC
Gênero: Multiplayer, MMORPG, MMO 
Número de jogadores:
Duração estimada:
Desenvolvedor: Gravity
Distribuidor: Gravity
Idioma EN